UGT-AM apoia luta de trabalhadores que foram abandonados por empresa norte-americana

Pelo menos 50 trabalhadores participaram na manhã desta segunda-feira (16) de uma manifestação em frente à sede da empresa norte-americana Geokinetics, localizada na avenida Mário Ypiranga, bairro Adrianópolis, em Manaus. O protesto foi para cobrar salários e direitos trabalhistas que não foram pagos pela companhia.

Em Tefé, cerca de 400 trabalhadores contratados pela empresa também fizeram manifestação.

A União Geral dos Trabalhadores do Amazonas (UGT-AM) apoia a manifestação dos operários, que participaram com faixas e cartazes denunciando a Geokinetics e a Rosneft.

"Isso é um absurdo que está acontecendo com os trabalhadores que agora estão sem receber os seus salários e os seus direitos trabalhistas. A UGT Amazonas, como uma entidade representante dos trabalhadores, não pode se omitir e, por isso, está apoiando a luta desses trabalhadores em busca de seus direitos", disse Antonio Mardonio, presidente da UGT-AM.

De acordo com o médico Cleverson Redivo, que atuava no setor de saúde da empresa, a Geokinetics decretou falência em junho deste ano e pelo menos mil e 300 trabalhadores ficaram sem os seus salários. Segundo Redivo, a dívida está em torno de R$ 20 milhões, entre salários e rescisões.

A Geokinetics foi contratada pela empresa russa Rosneft para realizar prospecção de petróleo e gás no município de Tefé-AM, distante 253 km de Manaus.

Na sexta-feira passada (13), os trabalhadores formalizaram denúncia no Ministério Público do Trabalho no Amazonas (MPT-AM) exigindo os salários atrasados e os direitos trabalhistas referentes ao período de setembro de 2017 a junho deste ano.

“O jurídico tentou um acordo que não aceitamos, pois esse acordo não garante os encargos sociais”, disse Redivo.

O médico informou que toda a diretoria da empresa desapareceu e o Recursos Humanos (RH) também foi desfeito sem deixar nenhuma explicação.

Hoje à tarde, os trabalhadores teriam uma reunião com o MPT-AM, mas o encontro foi transferido para o dia 30 deste mês. Redivo informou ainda que nesta semana terá início a abertura de processo na Justiça do Trabalho em busca dos direitos de todos os trabalhadores.

"Agradecemos o apoio da UGT Amazonas nessa nossa ação de protesto", disse o médico Cleverson Redivo, integrante da comissão dos trabalhadores que está à frente da manifestação e das negociações.

Assessoria de Imprensa da UGT-AM

Entre em Contato

Fale Conosco

Fale com o Presidente

UGT Amazonas
Endereço: Av. Tarumã, 779 - Centro, Manaus - AM, 69025-040
Telefone:(92) 3084-4029